Bolsa Integral Para Mestrado Em Economia E Ciência Do C

05 May 2019 18:40
Tags

Back to list of posts

<h1>Estudo Explica Por Que Pacientes Com Herpes-z&oacute;ster Sentem Ang&uacute;stia</h1>

<p>Utilizar serragem em substitui&ccedil;&atilde;o &agrave; areia pela fabrica&ccedil;&atilde;o de blocos de concreto ou na gera&ccedil;&atilde;o de argamassa. Inicialmente, parece mesmo coisa de cientista, gente que quer transpor a barreira do comum. Entretanto investigando bem, com apoio em regras normativas, o repercuss&atilde;o pode ser surpreendente e, sobretudo, economicamente envolvente. Foi o que fizeram os pesquisadores Lu&iacute;s Alfredo Cotini, Vitor Antonio Ducatti e Fl&aacute;vio Pedrosa Dantas Filho, da Universidade de Engenharia da Escola Estadual de Campinas (Unicamp).</p>

<p>Cotini come&ccedil;ou os estudos e Dantas deu sequ&ecirc;ncia, orientado por Ducatti. Hoje um arquiteto da localidade do Vale do Para&iacute;ba imediatamente usa o p&oacute; de serra, como componente da argamassa. O equipamento tem se exibido um isolante t&eacute;rmico bastante capaz pela constru&ccedil;&atilde;o civil. Perdeu-se Um &oacute;rg&atilde;o De &acirc;mbito Nacional as organiza&ccedil;&otilde;es j&aacute; est&atilde;o de olho pela novidade.</p>

<ul>

<li>Tr&ecirc;s Avalia&ccedil;&atilde;o do Minist&eacute;rio da Educa&ccedil;&atilde;o (MEC)</li>

<li>nove Um Cursos De Ingl&ecirc;s Online Gratuitos por socorro</li>

<li>Universidade de Oxford</li>

<li>3 Campus 3.1 Manaus</li>

</ul>

certificado-energ%C3%A9tico-san-fernando-de-henares-madrid-certificado-de-eficiencia-energ%C3%A9tica-obligatorio-omb-certificaci%C3%B3n-energ%C3%A9tica-madrid-omb-arquitecto-t%C3%A9cnico-oscar-millano-berm%C3%BAdez.jpg

<p>O p&oacute; de serra &eacute; o que se compreende popularmente por serragem. Para ser usado pela fabrica&ccedil;&atilde;o de blocos de concreto ou mesmo na produ&ccedil;&atilde;o de argamassa ele sofre um peneiramento, para que cada nanico res&iacute;duo de madeira fique do tamanho de um gr&atilde;o da areia usada nos processos convencionais.</p>

<p>Depois disso, a serragem passa por um banho de solu&ccedil;&atilde;o alcalina, pra responder bem ao que se chama “pega” do cimento. “A pega &eacute; o endurecimento”, explica Dantas. “Algumas subst&acirc;ncias presentes na madeira inibem este procedimento. Pra ter o bloco feito com p&oacute; de serra ter o m&iacute;nimo de resist&ecirc;ncia o pesquisador teve que obedecer um limite de substitui&ccedil;&atilde;o da areia usada em blocos comuns. Ao inv&eacute;s cimento, areia e brita (pedra), Dantas conseguiu bons resultados com blocos montados a partir do cimento, brita, 50% de areia e 50% de serragem. Neste instante na argamassa foi poss&iacute;vel substituir 100% da areia pelo res&iacute;duo da madeira.</p>

<p>“A pedra n&atilde;o &eacute; usada pela fabrica&ccedil;&atilde;o nesse artefato, apenas o cimento e a areia, que p&ocirc;de ser substitu&iacute;da na sua totalidade. Segundo Dantas, este objeto &eacute; 3,5 vezes mais isolante t&eacute;rmico que o concreto habitual. “Ele servir&aacute; muito bem &agrave; aplica&ccedil;&atilde;o em lajes de cobertura, pois uma enorme parcela de calor que entra nos edif&iacute;cios vem da&iacute;. Cotini deu o primeiro passo no estudo e caracteriza&ccedil;&atilde;o do objeto, cuja origem &eacute; o processamento de madeira. Depois, Dantas partiu para a bateria de testes.</p>

<p>“Levei o utens&iacute;lio para uma f&aacute;brica de blocos. Testei imensas propor&ccedil;&otilde;es dele em substitui&ccedil;&atilde;o &agrave; areia, at&eacute; que eu pudesse escolher uma que tivesse respondido melhor tal &agrave; compress&atilde;o quanto &agrave; resist&ecirc;ncia t&eacute;rmica do material”, diz o pesquisador. Tamb&eacute;m, feito com o p&oacute; de serra, o bloco fica bem mais leve. “Durante a pesquisa conseguimos apagar o peso em torno de 40%, comparando ao bloco feito com areia”, declara Dantas.</p>

<p>Uma desvantagem do bloco ‘alter-nativo pro usado comumente &eacute; a redu&ccedil;&atilde;o da resist&ecirc;ncia, Como Interpretar Os Editais De Concurso Do Jeito Correto o pesquisador. “Ele &eacute; menos resistente, no entanto trabalhamos dentro do m&iacute;nimo determinado por normas t&eacute;cnicas da ABNT, por isso, &eacute; seguro”, garante. A pesquisa de Dantas levou dois anos at&eacute; ser conclu&iacute;da e resultou n&atilde;o s&oacute; em ganhos pra constru&ccedil;&atilde;o civil, todavia tamb&eacute;m pro meio ambiente.</p>

Comments: 0

Add a New Comment

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License